FCamara — Escola solidária

Logo projeto escola solidária

O projeto

Este projeto faz parte do projeto de formação da FCamara, em sua última fase o processo conta com um Hackaton, os participantes foram divididos em equipes com desenvolvedores e UX Designers, para solucionar um problema:

“Nós sabemos o quanto é complicado para os pais poderem comprar material escolar para seus filhos. Os preços aumentam de semestre para semestre. Principalmente quando falamos de educação pública, onde a dificuldade é ainda maior e vem por diversos fatores…”

Trataremos a FCamara como um cliente neste case, portanto o cliente chegou com o ciclo de vida completo de uma aplicação, bem como os requisitos funcionais, em conversa com um dos stakeholders do projeto, ele ressaltou que os demais stakeholders acreditavam na viabilidade do projeto da maneira proposta.

Não se apaixone pelas suas ideias

O olhar agnóstico é de extrema importância para o desenvolvimento de soluções com foco no cliente, não é presumir o que eles necessitam, mas sim voltar alguns passos, observar, escutar e compreender suas dores e necessidades, aumentam a chance de sucesso das aplicações. O projeto proposto a equipe 21, chega formatado com requisitos funcionais, defenderemos durante este artigo outro fluxo que não a execução do projeto conforme solicitado, isto se dá justamente pela prática de empatia, observação e escuta dos usuários.

Usuários primários

Ao definir os usuários primários de uma aplicação, auxiliam nos processos de pesquisa, entendimento e validação de propostas de valor. Os usuários primários desta aplicação podem ser classificados entre dois tipos:

● Doadores: aquele que irá realizar uma doação, ou apadrinhar uma pessoa.

● Receptores: pessoa sem condições, para aquisição de material escolar próprio ou para terceiro.

Para tornar o conhecimento dos usuários primários acessíveis, a equipe procurou por docentes e discentes de diversas instituições, buscando entender como interagem com este problema. Após ouvir os usuários primários foi possível concluir que:

● O governo do estado de São Paulo, provê materiais escolares para o ensino fundamental 2 e ensino médio.

● Existem alternativas do Governo Federal para auxílio na aquisição de materiais escolares.

Embora existam iniciativas do governo de São Paulo e governo federal, é possível concluir que as ações promovidas atingem sim uma parte dos usuários primários, mas também existe outra que não recebe essa ajuda, seja por falha no processo, ou ausência de recursos. Ainda é importante ressaltar o fato de outros estados da federação não possuírem programas de incentivo como do estado de São Paulo, aumentando a desigualdade entre os receptores.

Outro fator relevante para a definição e construção dos usuários primários leva em conta a dificuldade de acesso à internet no Brasil. Segundo pesquisa divulgada em 29 de abril de 2020 pelo IBGE, 1 em cada 4 brasileiros não possui acesso à rede móvel, o que representa um total de 46 milhões de pessoas desassistidas. Ainda segundo a pesquisa, 41,6% das pessoas que não tem conexão ao meio online, afirmam que não acessam por não saber utilizar, 34,6% corresponde aos que não tem interesse, 11,8% consideram um serviço caro, e para 5,7% das pessoas o equipamento de instalação também custa muito. A renda média dos lares sem internet era equivalente a R$940,00. A maior parte dos indivíduos realiza a entrada na rede através do celular, por outro lado, embora o aparelho promova a democracia à conexão, segundo o pesquisador da UFMG, Virgilio Almeida, ainda vivemos em tempos de exclusão digital, podendo ser classificadas em 3 graus, já evidenciados anteriormente:

● Ausência de acesso a internet na região onde mora;

● Embora exista a possibilidade de se conectar, o indivíduo não tem condições de conexão;

● Analfabetismo digital, as pessoas muitas vezes não sabem utilizar o dispositivos, e não entendem a linguagens de aplicativos, usando de uma maneira conveniente.

Para simplificar o entendimento das personas, as informações apresentadas foram compiladas em duas proto-persona disponíveis nas figuras 1 e 2. A primeira apresenta uma mãe com acesso reduzido à internet por limitações de conhecimento e equipamentos, e a segunda, um jovem com maior conexão:

Lean Canvas

A figura 3 apresenta o Lean Canvas. A escolha por este tipo de Canvas leva em conta seu foco em hipóteses, permitindo que todos da equipe possam rapidamente se lembrar dos problemas, soluções e clientes.

Minimum Viable Product (MVP)

A escolha pelo Minimum Viable Product (MVP) tem como principal objetivo testar uma hipótese alternativa à solicitada pelo cliente, que havia requerido o desenvolvimento de uma aplicação para auxiliar na doação dos materiais. Ao considerar os dados obtidos na construção dos usuários primários fica evidente que uma aplicação poderá sofrer com a exclusão digital, analfabetismo digital, baixa adesão dos usuários ou sazonalidade, ademais, além dos pontos já apresentados, é necessário levar em conta custos de hospedagem, manutenção e divulgação, buscando amenizar os impactos da sazonalidade.

A hipótese alternativa propõe a parceria com escolas, livrarias e papelarias, para a criação de pontos de doação de materiais escolares; ainda no caso das livrarias e papelarias os possíveis doadores serão apresentados ao projeto durante suas compras, e podem optar por colaborar com um kit completo, com apenas algum item ou não colaborar. Em paralelo a este fluxo analógico, os usuários podem consultar os pontos de coleta mais próximos através do portal da campanha. Os objetivos dessa hipótese são:

● Mensurar acessos a plataforma;

● Mensurar o ticket médio entre as doações;

● Mensurar a quantidade de itens arrecadados.

Observação: ao apresentar a ideia do fluxo analógico a um stakeholder, o mesmo questionou que a escalabilidade do fluxo é baixa comparada ao aplicativo, e que haveria problemas de coletas picadas dos materiais escolares. Em defesa do fluxo, podemos afirmar que a criação de um aplicativo não garante a escalabilidade e não leva em conta o contexto em que os usuários estão inseridos, que a coleta picada pode ser resolvida com negociação dos pontos de coleta por se tratar de um MVP.

Para a execução da hipótese, contaremos com banners e folders que serão disponibilizados nos pontos de coleta a fim de identificá-los e chamar a atenção dos usuários doadores. A execução deverá contar com até 10 pontos de coleta a depender da cidade em que será executada, a escolha por poucos pontos de coleta em um primeiro momento, tem como objetivo acompanhar mais facilmente o desenvolvimento do projeto, entendendo as falhas e aprendendo com elas de maneira mais rápida. Este tipo de execução também ajudará no acompanhamento dos objetivos de mensurar o ticket médio e a quantidade de itens arrecadados.

O controle, retirada e repasse das doações poderá ser realizado em parceria com instituição de ensino ou organização não governamental (ONG), a inclusão deste intermediário tem a finalidade de aumentar o aproveitamento dos donativos realizados e oferecer suporte e acompanhamento social às famílias envolvidas.

As figuras 4 e 5 apresentam os protótipos em alta fidelidade em relação às páginas web do projeto. A equipe optou em produzir essa sequência simplificada por conta dos dados referentes aos usuários receptores, permitindo uma atenção maior no fluxo analógico.

As figuras 6 e 7 apresentam os usuários receptores e doadores em suas respectivas jornadas esperadas, desde o despertar da necessidade até o momento final. Os receptores realizam o fluxo analógico devido a dificuldade de acesso a internet, ficando livres para escolher a maneira pela qual irão realizar o contato com os organizadores. Já para os doadores, existe ou não a possibilidade de se utilizar o portal, devido a maior facilidade de conexão à rede e intimidade com a tecnologia.

Os demais protótipos e artefatos podem ser acessados no repositório do projeto.

Considerações finais

Para o desenvolvimento de novos produtos é primordial levar em conta os usuários primários e se afastar da paixão pela solução. Embora simples, o MVP contempla toda a hipótese analógica, os dados obtidos durante a execução do projeto serão utilizados para a atualização das proto-personas permitindo o entendimento do ticket médio, frequência de doação.

Caso o cliente deseje a construção de uma aplicação, deverá considerar a inclusão de outros possíveis doadores dentro do projeto como igrejas, ONGs, instituições de caridades, entre outros. Essa inclusão com perfis distintos permitirá a criação de uma nova proposta de valor a aplicação, que estaria voltada à solidariedade.

Se o cliente não desejar uma aplicação com grupos de usuários primários tão abrangentes, e optar por manter somente a arrecadação de materiais escolares, deverá se lembrar dos perfis dos receptores, da sazonalidade desta necessidade junto ao acompanhamento social e que a tecnologia é meio, não o fim. A sequência analógica permite adequações às mais diversas realidades, e poderá, caso o cliente deseje, contar com um fluxo de apadrinhamento em suas versões futuras, ou ações para aumentar a arrecadação de materiais como rifas e promoções, sempre se lembrando de quem são nossos usuários e suas dores.

Referências

Agrela, A. Analfabetismo digital segura avanço do acesso à internet no Brasil. Exame.com. 26 de fevereiro de 2019. Disponível em<https://exame.com/tecnologia/alfabetizacao-digital-segura-avanco-do-acesso-a-internet-no-brasil/>. Acesso em: 02 de abril de 2021.

Covid-19: exclusão digital em tempos de pandemia. Fiocruz. Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=vBw6ppxkTN8>. Acesso em: 02 de abril de 2021.

Garcia, J. Exclusão digital na pandemia é nova forma de discriminação. Uol Tilt. 05 de agosto de 2020. Disponível em <https://www.uol.com.br/tilt/noticias/redacao/2020/08/05/exclusao-digital-na-pandemia-e-nova-forma-de-discriminacao-diz-ativista.htm>. Acesso em: 02 de abril de 2021.

Maciel. R. 25% dos brasileiros não têm acesso à internet, aponta pesquisa. Canaltech. Disponível em <https://canaltech.com.br/internet/25-dos-brasileiros-nao-tem-acesso-a-internet-aponta-pesquisa-164107/>. Acesso em: 02 de abril de 2021.

Você é um analfabeto digital?. SuperInteressante.31 de outubro de 2016. Disponível em <https://super.abril.com.br/tecnologia/voce-e-um-analfabeto-digital>. Acesso em: 02 de abril de 2021.

Apêndice

Protótipo de baixa:
https://www.figma.com/file/RSS7K9crKH1w12icclxBht/FCamara?node-id=266%3A0

Protótipo de alta: https://www.figma.com/file/RSS7K9crKH1w12icclxBht/FCamara?node-id=0%3A1

Artefatos: https://www.figma.com/file/RSS7K9crKH1w12icclxBht/FCamara?node-id=268%3A167

Graduado em Sistemas para Internet e Pós Graduado em Gestão Estratégica de UX Design. Atuo como desenvolvedor .NET a 3 anos.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store